No ano de 1929, no Estados Unidos, nascia o refrigerante que foi febre no Brasil nos anos 90: o 7 Up. Criado por Charles Leiper Grigg, a bebida foi primeiramente chamada por “Bib-Label Lithiated Lemon-Lime Soda”, que era quase que um medicamento para “curar ressaca”. No Brasil, o refrigerante seven up foi lançado em 1995, sendo divulgado através de campanhas publicitárias. Porém, em  1997, deixou de ser fabricado e distribuído no Brasil, em virtude da baixa receptividade e consequente queda nas vendas em relação às concorrentes.

7 Up e o Citrato de Lítio em sua fórmula

Entre os componentes originais de sua fórmula, a 7 Up continha citrato de lítio que, já na época, era usado para atuar como estabilizador de humor nos sanatórios para tratar depressão maníaca e bipolar, de modo similar ao carbonato de lítio.

O criador, Giggs, nunca revelou quanto de lítio havia em sua bebida, apenas usou como argumento de propaganda para dizer que a bebida dava um “up” nos ânimos e no humor. No entanto, outras pessoas apontaram que o 7 se referia aos sete ingredientes da bebida: açúcar, óleos cítricos, ácido cítrico, citrato de sódio, água cabonatada, acidulante e citrato de lítio.

Reformulação do refrigerante 7 Up

Em 1948, a Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos proibiu o uso do componente em cervejas e refrigerantes no país inteiro, avaliando os malefícios que o lítio poderia causar à saúde. Por essa razão, em 1950 houve a reformulação da bebida, retirando o componente de seus ingredientes.

Carregar Mais..